Seja bem vindo !
CULTS E RARIDADES MUSICAIS
UM SITE DIRECIONADO A QUEM PROCURA DICAS E INFORMAÇÕES SOBRE MÚSICAS E LANÇAMENTOS EM CD DE GRUPOS E/OU INTÉRPRETES CONSIDERADOS "CULTS" OU ELITISTAS E DE ALTÍSSIMA QUALIDADE, EM TODAS AS ÁREAS DA MÚSICA POPULAR: ROCK ALTERNATIVO(INDIE), INDIE LO-FI, JAZZ, BOSSA NOVA, MÚSICA ELETRÔNICA, R&B, WORLD MUSIC, ETC...
Tradutor do Google
CURTA nossa pĂĄgina no Facebook

TOP 10

     " Clique abaixo na mĂșsica
      escolhida para escutĂĄ-la "

DISCOS DO MÊS

SHOWS

ALTA FIDELIDADE

TELEGRÁFICAS URGENTES

HALL OF FAME

ARTES E CINEMA

BIOGRAFIAS

FILOSOFIA, POLÍTICA, SAÚDE & OUTRAS CIÊNCIAS

POESIAS PESSOAIS

OUTRAS RESENHAS

NEW AGE

HALL OF FAME
26/04/2016

PRINCE - (1958 - 2016 - “ In Memorian “ )


PRINCE - (1958 - 2016 - “ In Memorian “ )

 

 

 

Prince Rogers Nelson foi um músico, multi-instrumentista e dançarino norte-americano, considerado por muitos um dos maiores ícones pop de todos os tempos, assim como um dos mais talentosos e conhecidos mundialmente, após de ter vendido mais de 100 milhões de álbuns e 60 milhões de singles. Os singles e álbuns de Prince, especialmente os lançados nos anos 1980, estão quase sempre entre as cinco primeiras posições de todas as listas de melhores canções ou discos de todos os tempos, com destaque para o álbum Purple Rain, lançado em 1984. Sua música mistura diversos gêneros musicais como funk, R&B, soul, psicodelia, new wave, jazz, rock, pop e hip hop. Foi considerado um dos melhores guitarristas de todos os tempos pela revista norte-americana Rolling Stone. O solo de guitarra na canção Purple Rain, segundo a mesma revista "é possivelmente o melhor solo de guitarra em uma balada na história."

 

Em 2004, foi induzido ao Hall da Fama do Rock and Roll. Na sua apresentação, ele tocou “While my guitar gently weeps”. Conforme a Revista Rolling Stone "o solo de guitarra de tirar o fôlego que Prince fez ao fim de “While My Guitar Gently Weeps” pode ser o maior momento musical de qualquer cerimônia da história do evento."

 

Prince tinha a habilidade de juntar elementos de todos estes estilos musicais fazendo uso de sintetizadores e bateria eletrônica  desde o início da sua carreira no fim dos anos 1970, tornando conhecido o som de Minneapolis, influenciando todos os novos artistas até hoje.

 

Prince tinha a reputação de ser um workaholic,  seja a trabalhar nas suas canções ou a produzir outros artistas até o ponto de deixar muito material inédito na gaveta. Considerado um perfeccionista, tinha a imagem de uma pessoa difícil de se trabalhar e por ter sido altamente protetor de sua música. Escreveu, compôs e produziu todas as suas canções. Também toca todos os instrumentos nos seus álbuns. Muitos críticos elogiavam seu trabalho pela sua versatilidade compor, tocar, cantar e dançar, fazendo da sua performance em palco algo extraordinário.

 

Prince Rogers Nelson era filho de John L. Nelson e Mattie Shaw. O pai tocou num trio de jazz chamado Prince Rogers Trio, daí a inspiração para o seu nome. Ambos os seus pais são afro-americanos. No início da carreira musical, ainda em Minneapolis, onde nasceu, Prince era influenciado por  James Brown, Jimi Hendrix, Sly & The Family Stone, Miles Davis e Carlos Santana.

 

O primeiro álbum de Prince sai pela Warner Bros. em 1978 e chama-se For You. Todas as canções deste álbum foram escritas e executadas por Prince, exceto Soft and Wet. O álbum teve vendagem modesta, não entrando nem entre as 200 da Bilboard, sendo Soft and Wet o único hit que até foi bem executado nas paradas R&B.

 

Seu segundo álbum, de 1979, intitulado " Prince" entrou no Bilboard 200 e teve dois hits, Why You Wanna Treat Me So Bad? e I Wanna Be Your Lover. Em 1980, Prince lança Dirty Mind, seu terceiro álbum, que é conhecido por seu conteúdo sexualmente explícito e por ter trocado a postura disco por uma atitude mais roqueira.

 

Controversy é lançado em 1981, com o single de mesmo nome entrando pela primeira vez nas paradas internacionais em fevereiro de 1981.

 

Prince na década de 1980 teve a banda The Revolution acompanhando-o e na década de 90 formou The New Power Generation. Em 1982 lança 1999, um álbum duplo que vendeu mais de 10 milhões de cópias. Os hits deste álbum, como Little Red Corvette e 1999 o consagraram como um dos principais artistas negros da época, ao lado de Michael Jackson e Lionel Richie na ainda iniciante MTV. Delirious, outro hit, alcançou o top 10 da Bilboard Hot 100.

 

Em 1984 Prince passa a chamar sua banda de "The Revolution", que consistia de Lisa Coleman e Dr. Fink nos teclados, Bobby Z na bateria, Brown Mark no baixo e Wendy Melvoin na guitarra. Purple Rain então é lançado junto com o filme de mesmo nome. O disco vendeu mais de 20 milhões de cópias e ficou 24 semanas consecutivas na parada do Bilboard 200. O filme, definido pelo crítico Joe Queena como "sexista, juvenil e mentecapto", arrecadou somente nos EUA, 80 milhões de dólares nas bilheterias. Purple Rain provou que Prince era um sucesso, um superstar. Duas faixas de Purple Rain, "When Doves Cry" e "Let s Go Crazy" chegaram ambas no topo dos singles dos EUA e viraram hits internacionais, enquanto a faixa título chegaria ao número 2 do Bilboard Hot 100. Simultaneamente, Prince aparecia como estrela do filme, single e álbum número 1 dos EUA. Prince ganha ainda o prêmio de melhor canção original da Academia por Purple Rain além de melhor trilha sonora de filme, e o álbum foi escolhido pela Rolling Stone como um dos 500 melhores álbuns de todos os tempos.

 

Subsequente a Purple Rain, em 1985, Prince lança Around The World In A Day, que chegou ao número 3 das paradas americanas. A faixa "Raspberry Beret" chega ao número 2 do Bilboard Hot 100.

 

Mas nem tudo era sucesso, e em 1986 Prince lança seu segundo filme Under The Cherry Moon, que foi um retumbante fracasso, que lhe fez ganhar o "Framboesa de Ouro", prêmio dado ao pior ator daquele ano. A trilha sonora, denominada Parade atingiu os 12 milhões de cópias vendidas, sendo a faixa "Kiss" número 1 da parada norte-americana. Promovendo este álbum, Prince dá início a uma turnê européia e asiática que consistia de shows esporádicos, anunciados poucas horas antes de sua performance.

 

Sign O’ The Times, lançado em 1987 como álbum duplo recebe várias críticas positivas e entra para a lista dos 100 melhores álbuns de todos os tempos da Rolling Stone e da revista Time, sendo eleito ainda o melhor dos anos 80. Tentando promover o álbum (que apesar de sucesso da crítica, falhava em vendas), Prince lança seu terceiro filme, homônimo ao disco. Em 1987 Michael Jackson convida Prince para um dueto em seu álbum Bad, mas diferenças artísticas puseram fim ao projeto.

 

Seu álbum seguinte, Lovesexy desaponta nas paradas, chegando apenas em décimo primeiro, sendo o único single de destaque Alphabet St., que alcançou o oitavo lugar na Billboard. Lovesexy também causou polêmica por sua capa, onde Prince posava nu. Uma turnê foi realizada para promover o álbum, mas gerou prejuízo devido à sua espalhafatosidade.

 

Em 1989 Prince volta ao número 1 com o hit "Batdance" da trilha sonora do filme Batman. No mesmo ano, ele gravaria Like a Prayer com Madonna, sendo coautor (mas não creditado) das canções "Like a Prayer""Keep It Together""Act of Contrition" e "Love Song", sendo este último com sua participação nos vocais. No ano seguinte, ele experimentou um sucesso mundial "por tabela" com uma canção sua, que se tornou uma das mais executadas no planeta na época: "Nothing Compares 2 U", gravada por Sinead O connor, teve execução maciça nas rádios FM dos cinco continentes.

 

Seu álbum seguinte Graffiti Bridge fica em sexto nos EUA e em primeiro na Inglaterra e é trilha sonora do filme homônimo. Inicialmente, a Warner não queria financiar o projeto, até Prince declarar que seria uma sequência de Purple Rain. Apesar do álbum receber críticas relativamente positivas (com destaques à Thieves in the Temple e Elephants and Flowers), o filme foi duramente criticado, sendo um fracasso comercial.

 

Diamonds and Pearls, álbum lançado em 1991, marca a estreia de sua nova banda, "The New Power Generation". Seu álbum seguinte, décimo segundo de sua carreira, conhecido como The Love Symbol Album, que chega ao décimo lugar da parada americana. Em sua capa, não havia nenhum nome, apenas um símbolo impronunciável.

 

Em 1993, ele mudou seu nome para o mesmo símbolo impronunciável , que junta os símbolos masculino (♂) e feminino (♀) e o usou até 2000. Como o nome é impronunciável, ele preferia ser chamado "o artista anteriormente conhecido como Prince" ou simplesmente "o Artista". Prince tomou esta atitude por causa da briga judicial com sua gravadora Warner Bros. a respeito dos direitos sobre suas canções.

 

Em 1996 Prince se casa com Mayte Garcia, uma dançarina de sua banda. Em 1997 nasce seu filho, mas infelizmente morre após o nascimento, vítima de Síndrome de Pfeiffer. Este evento trágico desencadeou problemas conjugais que levaram a anulação de seu casamento em 1998.

 

Em 16 de maio de 2000, Prince deixou de usar o símbolo impronunciável como nome e voltou a usar "Prince" novamente, depois de seu contrato com a Warner / Chappell expirado. Em conferência de imprensa, ele afirmou que, depois de ser libertado de relações indesejáveis associados com o nome "Prince", ele formalmente voltar a usar seu nome real. Prince ainda utiliza frequentemente o símbolo como um logotipo e nas capas de seus álbuns, bom como uma guitarra com o formato em questão.

 

Em 2004 a revista Rolling Stone nomeou Prince como o músico que mais ganhou dinheiro no mundo, com uma renda anual de 56,5 milhões dólares, em grande parte devido à sua turnê Musicology, que Pollstar classificou como um dos melhores show nos EUA. Ressaltando ainda mais o sucesso do álbum, Musicology, Prince ganhou dois Grammy, Best Male R&B Vocal Performance para "Call My Name" e Best Traditional R&B Vocal Performance para a faixa título. Musicologia foi também nomeado para Best R & B Song e Best R & B Album, enquanto "Cinnamon Girl" foi nomeado para Best Male Pop Vocal Performance. O álbum se tornou o álbum de Prince mais bem sucedido comercialmente desde Diamonds and Pearls. Em 2005, a Rolling Stone também classificou Prince como o 27 melhor artista de todos os tempos.

 

Prince faleceu, em casa, a 21 de abril de 2016, uma semana após ser hospitalizado com sintomas de gripe

 

Para Alan Correia, da revista Universo AA, Prince foi "Emblemático. Icônico. Criativo. Desafiou padrões estéticos e sexuais com seu estilo autêntico e excêntrico. Tudo isso, somado a um estilo único e inconfundível, fizeram de Prince um ícone cultural, o único que competia páreo a páreo com Michael Jackson em uma época em que ele se consagrou como Rei."

 

Os legados na moda foram assim descritos por Vivian Whiteman, da revista M de Mulher, "o visual de Prince sempre foi um ponto central em sua performance. Dos looks caricatos, cheios de brilho, colantes de leopardo, casacos de pele e rendas, meio cafetão meio glam dândi, à afrontosa capa de Lovesexy (em que ele aparece nu como uma fadinha sentado sobre uma flor), passando pelo momento em que substituiu sua foto e seu nome por um símbolo impronunciável, também chamado de o símbolo do amor."

 

Segundo a revista Veja, "seja pela genialidade ou pela atitude na década de 1980, Prince construiu uma carreira comparável à de nomes como David Bowie, Michael Jackson  e Madonna. Porém, ao contrário dos colegas, o músico manteve uma relação conturbada com sites de streaming e vídeos como Spotify e YouTube, o que o prejudicou e, na era da música online, ofuscou seu legado para novas gerações."

 

"Prince Rogers Nelson era mais do que um músico, mais do que um compositor, mais do que um vencedor do Grammy, Globo de Ouro e Oscar. Ele era um artesão genuíno, com músicas híbridas de R&B, soul, funk, rock e hip-hop, que não soam igual a nada que já existiu antes."







28 telegráfica(s) encontrada(s)

[1] [2] [PrĂłxima]


REDE SOCIAL


CURTA nossa pĂĄgina no Facebook    

NAVEGAÇÃO

CONTATO

 

PAULO MONTEIRO

(11) 98664-8381

(48) 9629-4000

cultseraridades@gmail.com